Pessoas fugindo da guerra na Ucrânia
Reprodução/Twitter: @Refugees - 19.04.2022
Pessoas fugindo da guerra na Ucrânia

Segundo uma informação foi divulgada nesta terça-feira (19) pela vice-primeira-ministra ucraniana, Irina Verechtchuk, civis não conseguirão deixar áreas afetadas pela invasão russa na Ucrânia pelo terceiro dia seguido. De acordo com a ministra os dois países não entraram em um acordo para a criação de novos corredores humanitários. 

"Hoje, infelizmente, não existe qualquer corredor humanitário. Os bombardeios intensos continuam em Donbass”, a cidade fica na região separatista no Leste da Ucrânia, onde tropas russas e também ucranianas estão guerreando desde segunda-feira (18), escreveu Irina através da plataforma Telegram.

A guerra que está prestes a completar dois meses, já matou quase 2 mil civis , mas o número pode ser ainda maior, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU).

Cerca de 11 milhões de pessoas já fugiram para outras regiões na Ucrânia e ao menos 5 milhões deixaram o país por causa da guerra.

Conflito entre Rússia e Ucrânia

Há quase 10 anos os países vivem em uma esfera de tensão. No final de 2013, vários protestos populares fizeram com que o então presidente ucraniano Víktor Yanukóvytch, apoiado por Moscou, renunciasse. Na época, os ucranianos debatiam uma possível adesão à União Europeia.

Leia Também

Leia Também

Já em 2014, a Rússia invadiu a Ucrânia e anexou o território da Crimeia, incentivando separatistas pró-Rússia desde então. Em 2015, foram firmados os Acordos de Minsk que decretavam um cessar-fogo, entre outros pontos, e proibiam Moscou de apoiar os rebeldes e Kiev deveria reconhecer Donetsk e Luhansk como províncias autônomas.

No entanto, o conflito continuou, o cessar-fogo não foi respeitado e aproximadamente 10 mil pessoas morreram desde então.

Em novembro de 2021, a Ucrânia se movimentou para fazer parte da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). A Rússia se sentiu ameaçada e iniciou exercícios militares na fronteira com o país vizinho, exigindo que a nação nunca se torne um membro.

A tensão se agravou após o presidente russo reconhecer Donetsk e Luhansk como províncias independentes, causando sanções por parte do Ocidente e a invasão de 24 de fevereiro.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários