Uma mulher ucraniana com uma das mãos no rosto
Reprodução Ansa - 11.04.2022
Uma mulher ucraniana com uma das mãos no rosto

Uma mulher de 50 anos que vive nos arredores de Kiev, na Ucrânia, denunciou ter sido vítima de estupro por um soldado que fazia parte das tropas russas . O crime ocorreu em 7 de março, quando ela estava em casa com o marido, que acabou morto por tentar salvá-la.

O relato surge num momento em que grupos de Direitos Humanos ucranianos alegam estar recebendo denúncias frequentes de violência sexual contra civis no país em guerra. Uma das organizações, La Strada-Ucrânia, informou nesta segunda que já foi notificada de nove casos de estupro envolvendo soldados russos contra 12 mulheres e crianças . Moscou nega as acusações.

Em entrevista à BBC,  Anna, como a vítima foi identificada para preservar a identidade, contou que o homem que a violentou usou uma arma para ameaçá-la.

"Com uma arma, ele me levou para uma casa próxima. E ordenou: 'Tire sua roupa ou eu atiro em você.' Ele continuou ameaçando me matar se eu não fizesse o que dizia. Então ele começou a me estuprar" contou a vítima, chorando.

Ela disse ainda que, enquanto o homem cometia o crime, outros quatro soldados entraram na casa. A princípio, pensou que eles a matariam, mas o grupo retirou do local o soldado que a havia estuprado. Anna correu de volta para casa em seguida e encontrou o marido baleado.

"Ele tentou correr atrás de mim para me salvar, mas foi atingido por vários tiros" lamentou, acrescentando que ela e o marido buscaram abrigo na casa de um vizinho. Sem poder ir para o hospital, o companheiro morreu dois dias depois. Ele foi enterrado no quintal de casa.

Os soldados ainda ficaram na residência do casal por alguns dias. Anna diz que o grupo a obrigou a entregar os pertences do marido.

Leia Também

"Quando eles foram embora, encontrei drogas e Viagra. Eles ficavam drogados e muitas vezes estavam bêbados. A maioria deles são assassinos, estupradores e saqueadores. Apenas alguns parecem OK" disse.

Depois do trauma,  a mulher conta que está em contato com o hospital local e recebe apoio psicológico.

'Ponta do iceberg'

A presidente da organização La Strada-Ucrânia Kateryna Cherepakha disse ao Conselho de Segurança na ONU que a violência e o estupro tem sido usados com "arma de guerra" pelos soldados russos.

"Esta é apenas a ponta do iceberg. Sabemos e vemos que a violência e o estupro são usados agora como arma de guerra por invasores russos na Ucrânia, queremos que vocês ouçam nossas vozes" ressaltou em conferência virtual.


Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. 

*(com informações de agências internacionais)

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários