Francia Márquez, vice na chapa do candidato à presidência da Colômbia Gustavo Petro
Reprodução/redes sociais
Francia Márquez, vice na chapa do candidato à presidência da Colômbia Gustavo Petro

Pela primeira vez, dois negros disputarão a Vice-Presidência na Colômbia nas eleições de 29 de maio: Francia Márquez, de esquerda, que será companheira de chapa do senador e ex-guerrilheiro Gustavo Petro, favorito em todas as pesquisas, e Luis Gilberto Murillo, que comporá a chapa de centro, Sérgio Fajardo.

Ambos são ativistas ambientais e representam as regiões mais remotas, excluídas, pobres e cercadas de violência do país de 50 milhões de habitantes, onde 9,3% se reconhecem como negros.

"Obrigado, Gustavo Petro, por me atribuir esta responsabilidade, que eu sei que é grande, em nome das mulheres, em nome de todos", disse Francia durante o anúncio nesta quarta-feira em um hotel em Bogotá.

Nas primárias de 13 de março, Francia obteve a segunda melhor votação na coalizão de esquerda Unidade Patriótica, com 780 mil votos, atrás de Petro, que teve 4,4 milhões.

Dado o declínio da direita, que tradicionalmente governa a Colômbia, as primárias, realizadas juntamente com as eleições legislativas, significaram um avanço histórico para a oposição liderada por Petro.

Com o punho erguido e poucos sorrisos, a advogada de 40 anos afirmou que trabalhará para mulheres, negros, indígenas, camponeses, população LGBT+ e jovens que protestaram maciçamente contra o governo conservador de Iván Duque em 2021.

Petro anunciou que Francia também comandará o Ministério da Igualdade que pretende criar caso vença a disputa.

Leia Também

"Da escravidão ao poder (...), da exclusão à democracia, da violência permanente à paz", declarou o senador de 61 anos.

Francia sobreviveu em 2019 a um ataque com granadas e tiros de fuzil por sua defesa da água em comunidades afrodescendentes. Um ano antes, ela havia recebido o Prêmio Goldman, também conhecido como Prêmio Nobel do meio ambiente, por sua luta ambiental na região de Cauca, no Sudoeste colombiano, onde nasceu.

Por sua vez, Fajardo nomeou Murillo (55 anos), engenheiro de minas formado em Moscou, ex-ministro do Meio Ambiente, ex-consultor da Agência de Desenvolvimento dos Estados Unidos e ex-governador de Chocó (Oeste), o departamento (estado) mais pobre do país.

"Quero ser o vice-presidente das regiões, das pessoas que não tiveram voz, das pessoas que querem se ver refletidas, interpretadas no governo nacional, porque não há outro caminho para avançar no caminho da paz", disse Murillo.

Fajardo venceu a consulta das forças centristas com 723.475 votos e enfrentará Petro e o conservador Federico Gutiérrez, que ainda não definiu seu candidato a vice.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários