China: Caixa preta é encontrada dois dias após queda de avião
Reprodução 21/03/2022
China: Caixa preta é encontrada dois dias após queda de avião

Uma das caixas pretas do Boeing 737-800,  que caiu na China há dois dias, foi encontrada nesta quarta-feira. O equipamento é essencial para a investigação, já que a aeronave foi extremamente danificada na queda. Destroços estão espalhados por uma região montanhosa na cidade de Wuzhou, Sul do país.

Fortes chuvas interromperam hoje a operação de resgate das 132 pessoas que estavam a bordo da aeronave. Até o momento, nenhum sobrevivente foi encontrado, mas as autoridades ainda não confiramam a morte de todos os passageiros e tripulantes do voo.

Conforme a AFP, um repórter da emissora estatal CCTV, que teve acesso à área do acidente, disse que havia riscos de "deslizamentos de terra em pequena escala", já que a chuva desestabilizou as encostas íngremes da região.

"Há um enorme poço no local do acidente causado pelo avião... há muita água no poço", disse o repórter, acrescentando que o trabalho de drenagem agora pode ser necessário antes das buscas serem retomadas.

A Administração de Aviação Civil da China (AACC) disse que realizará uma inspeção de segurança em todo o setor durante duas semanas. O presidente Xi Jinping ordenou uma investigação logo após a queda do avião, enviando altos funcionários do Partido Comunista para a região do acidente, incluindo o vice-primeiro-ministro Liu He. As autoridades chinesas bloquearam o acesso ao local e impediram a mídia estrangeira de falar com os parentes das vítimas.

O voo MU5735 tinha como destino a cidade portuária de Cantão após a decolagem em Kunming, capital da província de Yunnan, no Sudoeste. Conforme a plataforma de monitoramento Flightradar24, pouco mais de uma hora após decolar, o avião “de repente começou a perder altitude muito rápido”. O Boeing estava a 29.100 pés quando, em pouco mais de um minuto, desceu mais de 21 mil pés. A aeronave aparentemente recuperou a altitude em torno de 8 mil pés antes de continuar a queda.

Leia Também

Queda intriga especialistas

As causas da tragédia ainda serão investigadas. O caso chamou a atenção de especialistas de aviação porque acidentes com aeronaves deste modelo são raros, ainda mais na fase de cruzeiro do voo — entre o final da subida da aeronave e o início da descida no aeroporto de destino. O histórico de segurança do setor aéreo da China também figura entre os melhores do mundo na última década.

"Normalmente, o avião está no piloto automático durante a fase de cruzeiro. Portanto, é muito difícil entender o que aconteceu. Do ponto de vista técnico, algo assim não deveria ter acontecido", disse à Reuters o especialista em aviação Li Xiaojin.

A Boeing apontou em um relatório divulgado no ano passado que apenas 13% dos acidentes comerciais fatais em todo o mundo entre 2011 e 2020 ocorreram durante a fase de cruzeiro, enquanto 28% dos acidentes com mortes ocorreram na aproximação final e 26% no pouso.

O 737-800 tem um bom histórico de segurança e é o antecessor do modelo 737 MAX, que está parado na China há mais de três anos após acidentes fatais em 2018 na Indonésia e 2019 na Etiópia.

"A Administração de Aviação da China tem regulamentos de segurança muito rígidos e só precisamos esperar por mais detalhes para ajudar a esclarecer a causa plausível do acidente", disse à Reuters Shukor Yusof, chefe da consultoria de aviação Endau Analytics, com sede na Malásia.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários