Teatro de Mariupol ficou destruído após ataque russo
Reprodução/Twitter
Teatro de Mariupol ficou destruído após ataque russo

O prefeito de Mariupol afirmou que os conflitos nas ruas da cidade tem dificultado os esforços para resgatar civis presos no porão do teatro atingido por um ataque aéreo russo. De acordo com o prefeito, cerca de 1.000 pessoas ainda estariam dentro do prédio.

— Nossas forças estão fazendo todo o possível para manter sua posição na cidade, mas as forças do inimigo são maiores que as nossas, infelizmente. — disse Vadym Boychenko a BBC.

Segundo o prefeito, as equipes de resgate só conseguem atuar quando há os conflitos cessam temporariamente. De acordo com a emissora britânica, ele não conseguiu precisar o número de pessoas que teriam conseguido deixar o local.

Na sexta-feira, o governo havia afirmado que 130 pessoas teriam conseguido deixar a área do teatro. No entanto, outras 1.000 estariam ainda presas no porão do prédio.

Leia Também

O Ministério da Defesa russo negou ter realizado o ataque, e responsabilizou o Batalhão de Azov, uma milícia ucraniana ligada à extrema direita, pela ação.

Localizada no Mar de Azov, Mariupol é um dos principais cenários da guerra na Ucrânia: a infraestrutura da cidade foi parcialmente destruída, e aqueles que deixam o local afirmam que corpos estão espalhados pelas ruas — segundo autoridades locais, o número de mortos chegaria a 2.400. É estimado que 300 mil pessoas se encontrem presas dentro da cidade, sem acesso a eletricidade, água e aquecimento.

De acordo com o prefeito, 40 mil pessoas teriam conseguido deixar a cidade nos últimos cinco dias.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários