Deslizamento no Peru no povoado de Retamas
Reprodução - 15/03/2022
Deslizamento no Peru no povoado de Retamas

Um deslizamento de rocha e lama de uma colina soterrou dezenas de casas nesta terça-feira em um povoado andino no Norte do Peru, e as autoridades temem que dezenas de pessoas estejam presas e desaparecidas.

"O deslizamento cobriu, segundo relatório preliminar, aproximadamente entre 60 e 80 casas. Elas foram completamente cobertas", disse à rádio RPP o governador da região norte de La Libertad, Manuel Llempen.

O deslizamento aconteceu por volta das 08h30 locais (10h30 de Brasília) no povoado de Retamas, a 2.800 metros acima do nível do mar, no distrito de Parcoy, nas montanhas da região de La Libertad.

Retamas, habitada por famílias de mineiros, fica à 16 horas de estrada da cidade de Trujillo, capital regional localizada na costa, 500 quilômetros ao norte de Lima.

Ainda não se sabe se há vítimas, mas várias pessoas presas foram resgatadas por vizinhos que abriram buracos em tetos e paredes das casas soerradas, informou a mídia local.

"Há muitas pessoas presas (...) dentro das casas", disse Llempen.

Os moradores registraram com seus celulares o momento do deslizamento, possivelmente causado pelas intensas chuvas registradas nos últimos dias nas áreas altas andinas de Libertad.

Leia Também

O presidente peruano, Pedro Castillo, informou que o governo apoiará as famílias afetadas pelo deslizamento.

"Ordenei que o chefe do Indeci [Defesa Civil] e o ministro da Defesa [José Gavidia] fossem até a área afetada pelo deslizamento de terra na província de Pataz", disse o presidente nas redes sociais.

Por sua vez, o ministro Gavivia explicou que vai acompanhá-lo até a área com uma equipe de resposta rápida da Defesa Civil.

"Vamos fornecer toda a ajuda necessária às famílias afetadas", prometeu.

Deslizamentos ocorrem com alguma regularidade durante os meses de verão na região andina do Peru devido às chuvas sazonais.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários