Refugiados ucranianos deixando o país
Reprodução / Twitter Barack Obama - 10.03.2022
Refugiados ucranianos deixando o país

Pelo menos 579 civis foram mortos, incluindo 42 crianças, e mais de mil ficaram feridos na Ucrânia desde o início da invasão russa em 24 de fevereiro , informou o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos neste sábado (12).

No balanço anterior, a entidade havia informado que 564 pessoas perderam a vida e 982 ficaram feridas no conflito que já dura 17 dias.

Segundo a ONU, que aponta que o número real pode ser significativamente muito maior, especialmente nas áreas sob controle do governo sitiadas pelas forças russas, a guerra já deixou 1002 civis feridos, incluindo 54 menores de idade.

Em todos os relatórios, a organização tem explicado que "a maioria das baixas civis registradas foi causada pelo uso de armas explosivas com uma ampla área de impacto, incluindo artilharia pesada e sistemas de foguetes de lançamento múltiplo, mísseis e ataques aéreos".

Hoje, o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, disse em uma transmissão durante um protesto em Florença, na Itália , que 79 crianças morreram desde o início da guerra.

Leia Também

"Pedimos para recordar o número 79, as 79 crianças mortas pela guerra, 79 famílias destruídas. Devemos garantir que este número não aumente e que ninguém o esqueça", afirmou.

Mais cedo, Zelensky divulgou que "cerca de 1,3 mil militares ucranianos" foram mortos durante o conflito, enquanto que o Exército russo perdeu "cerca de 12 mil homens".

A Rússia, por sua vez, disse ter perdido 500 militares. Já os Estados Unidos falam que as perdas russas variam entre 2 mil e 4 mil. 

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários