Zhao Lijian, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, criticou as sanções aplicadas contra a Rússia
Reprodução/Twitter
Zhao Lijian, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, criticou as sanções aplicadas contra a Rússia

A China anunciou que está enviando ajuda humanitária à Ucrânia. O país destinou ¥ 5 milhões (cerca de R$ 4 milhões) em alimentos e itens de necessidade básica. Mesmo com a ajuda, o governo chinês reforçou ser contra as sanções aplicadas contra a Rússia. 

Zhao Lijian, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, disse que os produtos foram encaminhados ao país por meio da Cruz Vermelha e que um outro lote deve chegar "o mais rápido possível". 

Em entrevista, Zhao reforçou que reagir com sanções não traz "paz e segurança" e "causa sérias dificuldades às economias e meios de subsistência dos países em questão". Ele também disse que o país continuará realizando operações comerciais com a Rússia. 

Xi Jinping, presidente da China, em conversa Emmanuel Macron, presidente da França, e com o chanceler alemão, Olaf Scholz, pediu uma  "contenção" da guerra entre a Rússia e a Ucrânia. 

Leia Também

No último sábado (5), o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, disse em comunicado que Pequim se opõe a qualquer medida que intensifique as tensões entre os países. 

"A China apoia todos os esforços que aliviem a situação e busquem uma solução política” e “se opõe a qualquer movimento que (…) adicione combustível à chama e aumente as tensões, em vez de promover uma solução diplomática", escreveu Wang ao defender diálogo. 

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários