Pessoas na estação ferroviária de Lviv-Holovnyi em Lviv, no oeste da Ucrânia, esperando para embarcar
UNICEF/Aleksei Filippov
Pessoas na estação ferroviária de Lviv-Holovnyi em Lviv, no oeste da Ucrânia, esperando para embarcar

O número de refugiados que fugiram da guerra na Ucrânia chegou a dois milhões nesta terça-feira. A informação foi confirmada por Filippo Grandi, alto comissário da ONU para os Refugiados. Deste total, certa de 1,2 milhão de pessoas fugiu para a Polônia desde o início do conflito, em 24 de fevereiro.

Conforme a Guarda de Fronteira polonesa, apenas nesta segunda-feira 141.500 pessoas chegaram ao país, pouco abaixo do recorde diário de 142.300 no domingo. Além de abrigos temporários, refugiados também estão se hospedando em casas de poloneses. Estima-se que 40% deles já deixaram a Polônia em direção a outros países.

Nesta terça, o parlamento da Polônia vai debater uma legislação de emergência para a situação. Serão discutidas propostas como compensação de cidadãos que estão hospedando àqueles que fugiram da Ucrânia, bem como a possibilidade de ucranianos viverem e trabalharem na Polônia por 18 meses, recebendo assistência médica e educação gratuitas.

Até o momento, 191 mil fugiram para a Hungria; 141 mil para a Eslováquia; 83 mil para a Moldávia; 82 mil para a Romênia;  99,3 mil para a Rússia e 453 para a  Bielorrússia. O levantamento é anterior a abertura de corredores humanitários nesta terça-feira.

As rotas definidas pela Rússia foram: um corredor de Kiev a Gomel (Bielorrússia); dois de Mariupol a Zaporíjia (Ucrânia) e Rostov-no-Don (Rússia); um de Kharkiv a Belgorod (Rússia); e dois de Sumy a Belgorod (Rússia) e a Poltava (Ucrânia).

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários