Ucranianos fogem da guerra em seu país
EPA/Ansa
Ucranianos fogem da guerra em seu país

Desde o início do ataque da Rússia contra a Ucrânia , em fato ocorrido na quinta-feira (24), a Polônia já recebeu cerca de 100 mil ucranianos refugiados, informou o governo de Varsóvia neste sábado (26).

A maior parte das pessoas que fogem são mulheres, crianças e idosos, além de estrangeiros que moravam no território ucraniano. Isso porque o governo de Kiev proibiu a saída do país de homens que tenham entre 18 e 60 anos para que eles defendam o país.

Cerca de 90% dos ucranianos que chegam à Polônia tem familiares ou amigos no país vizinho.

Além da Polônia, foram registradas longas filas de refugiados na Hungria, Moldávia, Eslováquia e Romênia desde a quinta-feira.

Neste último país, o governo informou que na madrugada deste sábado foi registrada uma fila de 15 quilômetros no posto de fronteira de Porubne-Siret. Por isso, a Romênia pede que a população use outros pontos de entrada para agilizar o processo.

Leia Também

A mídia romena ainda relata que muitos homens têm ido com suas famílias até a fronteira para deixar mulheres e crianças e depois pegam o caminho de volta para suas cidades na Ucrânia. Os refugiados, que em sua maioria chegam a pé, são recebidos com uma sopa em um centro de acolhimento temporário e depois são levados para as cidades próximas.

O fluxo de pessoas que tentam fugir da Ucrânia aumentou no início dessa semana, após o presidente da Rússia, Vladimir Putin, reconhecer as áreas separatistas de Lugansk e Donetsk como repúblicas independentes.

Na quinta, com o ataque sendo iniciado, milhares de pessoas iniciaram uma fuga em massa para os países vizinhos por conta dos temores da intensificação do combate - já que os russos têm uma capacidade militar infinitamente superior ao de Kiev .

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários