Míssel - Coreia do Norte
Reprodução: commons
Míssel - Coreia do Norte

Os governos da Alemanha, França e Reino Unido "condenaram fortemente" os "provocativos" testes de mísseis realizados pela Coreia do Norte. Em comunicado conjunto divulgado nesta quarta-feira (2), os três países pediram para os norte-coreanos cumprirem as resoluções da Organização das Nações Unidas (ONU).

O documento afirma que essas ações "prejudicam a paz e a segurança regional e internacional e violam claramente as muitas resoluções aprovadas por unanimidade pelo Conselho de Segurança da ONU.

Ontem (1º), o secretário-geral da ONU, António Guterres, já havia denunciado o mais recente lançamento de míssil balístico por parte de Pyongyang, afirmando que "viola a moratória anunciada em 2018" para este país e com este tipo de arma. Além disso, uma reunião de emergência do Conselho de Segurança foi convocada para a próxima quinta-feira (3).

A Coreia do Norte confirmou no último dia 31 de janeiro ter lançado, no dia anterior, seu míssil mais poderoso desde 2017. O lançamento ocorreu na província de Chagang, e o míssil percorreu cerca de 800 quilômetros em 30 minutos, alcançando uma altitude máxima de 2 mil quilômetros, até cair no Mar do Japão.

Leia Também

Até agora, Pyongyang efetuou seis testes de mísseis balísticos e ameaça realizar mais ensaios, de acordo com os países europeus.

"Essa atividade é um assunto de grave preocupação e vai gerar uma resposta unânime", declararam os ministros das Relações Exteriores britânico, francês e alemão.

O regime do ditador Kim Jong-un tem ignorado apelo dos Estados Unidos para voltar às negociações de desnuclearização, que estão travadas desde fevereiro de 2019, quando o então presidente Donald Trump abandonou de forma abrupta uma cúpula com Kim no Vietnã.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários