Donald Trump
Reprodução/Twitter
Donald Trump

O ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump acusou o mandatário Joe Biden de transformar seu  discurso desta quinta-feira (6) em um "teatro político".

A declaração foi divulgada poucos minutos após o pronunciamento do democrata sobre o  primeiro aniversário do levante de apoiadores de Trump no Capitólio para tentar impedir a ratificação do resultado das eleições de novembro de 2020.

"Biden, que está destruindo nossa nação com políticas insanas de fronteiras abertas, eleições corruptas, políticas de energia desastrosas, medidas inconstitucionais e fechamentos de escolas devastadores, usou meu nome hoje para tentar dividir ainda mais a América", disse Trump, que não foi citado nominalmente nenhuma vez pelo atual presidente.

"Esse teatro político é apenas uma distração do fato de que Biden fracassou completamente. Nosso país não tem mais fronteiras, perdeu completamente o controle da Covid, não é mais independente em energia, está com a inflação em disparada, com as Forças Armadas no caos, e nossa retirada, ou rendição, no Afeganistão é talvez o dia mais embaraçoso na longa história dos Estados Unidos", acrescentou o republicano.

Leia Também

Trump ainda insistiu que as eleições de 2020 foram "fraudadas" - novamente sem apresentar nenhuma prova. "Basta olhar para os números, que falam por si só", declarou o ex-presidente, sem citar números.

Em seu discurso nesta quinta, Biden não mencionou Trump nominalmente nenhuma vez, mas responsabilizou o magnata pela insurreição de 6 de janeiro de 2021.

"No ano passado, pela primeira vez na história, um presidente que havia acabado de perder uma eleição tentou evitar a transição pacífica de poder quando uma multidão violenta invadiu o Capitólio, mas eles fracassaram. E neste dia de lembrança, precisamos garantir que tais ataques nunca mais aconteçam", disse o democrata.

"Não era um grupo de turistas, era uma insurreição armada. Eles não queriam garantir a vontade do povo, eles queriam negá-la. Eles não tentavam assegurar uma eleição justa e livre, eles buscavam revertê-la. Eles não estavam tentando salvar a América, eles queriam subverter a Constituição", acrescentou.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários