O mafioso italiano era procurado por assassinato e vários outros crimes relacionados à máfia
Google Maps
O mafioso italiano era procurado por assassinato e vários outros crimes relacionados à máfia

Considerado um dos fugitivos mais procurados pela polícia italiana, Gioacchino Gammino, membro da máfia “Stidda” – grupo que tem forte presença em áreas rurais da Sicília e é rival da Cosa Nostra -, foi rastreado e detido em Galapagar, na Espanha, após ser visto em uma imagem no Google Street View.   

Foragido há 20 anos, Gammino vive na cidade espanhola perto de Madri e é conhecido por Manuel. Lá, ele se casou e trabalhava como chef, além de ser dono de uma loja de frutas e vegetais. Ao longo dos anos, a polícia siciliana realizou várias investigações em sua busca pelo criminoso de 61 anos. Inclusive, um mandado de prisão europeu foi emitido em 2014. 

No entanto, o fugitivo só foi localizado na Espanha, graças a uma imagem do Google Street View, que confirmou seu paradeiro. A ferramenta de navegação, acessível através do Google Maps, capturou a imagem de dois homens conversando do lado de fora de uma loja de frutas e vegetais chamada “El Huerto de Manu”, em Galapagar.   

A polícia acreditava que um dos homens se parecia muito com Gammino, mas sua identidade só foi confirmada quando encontraram uma lista de um restaurante próximo chamado La Cocina de Manu.   

A loja e o restaurante estão fechados, mas as autoridades encontraram uma foto de Gammino, vestido com seu traje de chef, em uma página do Facebook. Com isso, os agentes o reconheceram pela cicatriz no lado esquerdo do queixo, além de associarem o fato de o cardápio do restaurante ter um prato chamado “Cena Siciliana” em referência à ilha italiana.

Leia Também

Gammino foi preso em 17 de dezembro de 2021, mas os detalhes de sua captura só foram divulgados nesta quarta-feira (5). O caso foi confirmado pelo promotor de Palermo, Francesco Lo Voi, que liderou a última investigação.   

“Não é como se passássemos nossos dias vasculhando o Google Maps para encontrar fugitivos. Foram muitas e longas investigações anteriores, que nos levaram à Espanha. Estávamos em um bom caminho, com o Google Maps ajudando a confirmar nossas investigações”, disse Lo Voi ao jornal “The Guardian”.   

Depois de 20 anos escondido, Gammino achava que havia conseguido cortar todos os laços com a Sicília. Ao ser preso, ele teria dito à polícia: “Como vocês me encontraram? Eu não liguei para minha família por 10 anos”.   

Gammino pertencia a um clã mafioso de Agrigento, na Sicília, que se envolveu em uma violenta rixa com a Cosa Nostra, a principal rede mafiosa da Sicília, na década de 1990. Ele foi preso pela primeira vez em 1984, quando foi investigado pelo juiz antimáfia Giovanni Falcone, assassinado pela máfia em 1992.

O mafioso italiano era procurado por assassinato e vários outros crimes relacionados à máfia. Ele foi detido pela segunda vez em Barcelona em 1998 e cumpria pena de prisão perpétua na penitenciária de Rebibbia, em Roma, quando, em 2002, conseguiu escapar durante a comoção da realização de um filme na prisão.  

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários