Tornado no Kentucky
Reprodução Twitter
Tornado no Kentucky

Na noite do último domingo (12), o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, declarou situação de "desastre federal" no Kentucky, por causa dos tornados que mataram pelo menos 94 pessoas. O desastre se estendeu a outros estados, que tiveram cidades destruídas e pessoas desaparecidas.

Os serviços de emergência prosseguem com as buscas por sobreviventes, mas autoridades federais e locais já advertiram que o número de vítimas fatais deve aumentar nas próximas horas.

A pedido do governador do Kentucky, Andy Beshear, Biden atualizou uma declaração prévia de emergência para "desastre", o que permite o envio de ajuda federal para os trabalhos de recuperação.

Antes ele já havia classificado a passagem dos tornados pelo coração dos Estados Unidos como "uma das maiores" na história do país. Beshear advertiu que os cães farejadores ainda estão encontrando corpos.

"A primeira coisa que temos que fazer é chorar juntos e o faremos antes de reconstruir juntos" , afirmou o governador de Kentucky no domingo. Mais de 80 pessoas morreram apenas no estado de Kentucky, incluindo muitos funcionários de uma fábrica de velas da devastada cidade de Mayfield, informou Beshear. O governador disse que o número "vai superar 100" .

Troy Propes, diretor-executivo da empresa proprietária da fábrica, defendeu sua decisão de não fechá-la quando a tempestade se aproximava. "Fizemos tudo o que se acredita que deveria ter sido feito" , declarou à CNN.

Posteriormente, o governador disse que o dono da fábrica acreditava que mais trabalhadores foram localizados e que seria "maravilhoso" se o número de vítimas fosse reduzido, mas destacou que não tinha condições de verificar a informação.

Na CNN, Michael Dossett, coordenador de ajuda de Kentucky, citou a "visão de uma zona de guerra" . Enquanto uma igreja cristã de Mayfield distribuía alimentos e roupas para os sobreviventes, também oferecia espaço para que legista do condado fizesse seu trabalho, disse à AFP o pastor Stephen Boyken, da His House Ministries.

Leia Também

As pessoas "vêm com fotografias, marcas de nascença; agora falam de usar amostras de DNA para identificar os que perderam" , contou.

Os rastreadores de tempestades afirmaram que a tempestade do fim de semana levantou destroços a até 9.100 metros de altura. Em Mayfield, parece ter quebrado um recorde de quase um século, ao afetar mais de 320 quilômetros de terra. "A devastação não se parece com nada que vi em minha vida" , disse Beshear, o governador do estado.

Em outros lugares de Kentucky, além dos estados de Missouri, Illinois, Tennessee e Arkansas, cenas semelhantes foram registradas, com prédios destruídos, infraestruturas de metal retorcidas, veículos capotados, árvores caídas e tijolos espalhados pelas ruas.

Mayfield, uma cidade de 10.000 pessoas no extremo oeste de Kentucky, foi declarada como "zona zero" do desastre. Quarteirões inteiros foram destruídos, assim como casas históricas e edifícios. Árvores e veículos foram arrastados.

Entrevistada pela NBC, a prefeita de Mayfield, Kathy O'Nan, pareceu reduzir as chances de um milagre: "Ainda há esperanças. Mas, por enquanto, o que esperamos é um refúgio acolhedor para nossos sobreviventes" .

O presidente Biden destacou que os fenômenos meteorológicos estão "mais intensos" com o aquecimento global, mas não estabeleceu uma relação causal direta entre a mudança climática e a catástrofe que mergulhou seu país no luto.

Relatórios calculam em 30 o número de tornados na região. "Esta será nosso novo normal. E os efeitos que estamos vendo da mudança climática são a crise de nossa geração" , afirmou a diretora da FEMA, Deanne Criswell.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários