EUA reconhecem hipopótamos de Pablo Escobar como 'pessoas jurídicas
Reprodução
EUA reconhecem hipopótamos de Pablo Escobar como 'pessoas jurídicas"

Um tribunal norte-americano reconheceu, pela primeira vez, os hipopótamos deixados por  Pablo Escobar na fazenda Napoles, em Doradal, na Colômbia, como 'pessoas jurídicas' e, com isso, os animais podem se livrar de uma possível eutanásia - ou seja, de serem sacrificados. As informações são da Folha de S.Paulo.

Os hipopótamos integram um conjunto de animais que foram importados ilegalmente pelo narcotraficante na década de 80. Junto deles, vieram elefantes, avestruzes, camelos e girafas. Porém, após o assassinato de Escobar, quatro hipopótamos foram deixados no local devido a dificuldade de sua captura e manejo.

Passados alguns anos, os quatro animais tornaram-se 120 e passaram a ocupar a área da bacia do rio Magdalena. Com isso, os hipopótamos passaram a ser considerados uma espécie invasora e que causa danos ao ecossistema local. Desde 2009 discute-se um plano para dar fim a presença dos animais através de um processo de eutanásia.

A ação foi barrada através de Luis Domingo Gómez Maldonado, um advogado que entrou com uma ação em nome dos hipopótamos para salvá-los. O plano deu certo e um tribunal dos Estados Unidos declarou que os animais podem ser reconhecidos como 'pessoas jurídicas' qe que seu abatimento seria ilegal.


Com isso, autoridades colombianas - junto ao Departamento de Agricultura dos Estados Unidos - terão de produzir um contraceptivo para os hipopótamos, para que sua reprodução seja interrompida.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários