Megan Scotcher fingiu ter câncer terminal
Reprodução: Redes Sociais
Megan Scotcher fingiu ter câncer terminal

Uma mulher britânica fingiu ter câncer terminal e arrecadou mais de 16 mil libras esterlinas (cerca de R$ 114 mil) em doações. Em sentença, ela foi condenada a 10 meses de prisão em Ripley, na Inglaterra. 

Megan Scotcher, 28, de Derbyshire, criou uma página online chamada GoFundMe de arrecadação de fundos declarando que os médicos descobriram uma massa em seu cérebro e que ela foi diagnosticada com câncer. 

Segundo o jornal britânico Mirror, o promotor Gurdial Singh revelou que a página de doações criada por Megan foi divulgada em vários jornais, como no The Sun e no Derby Telegraph.

Ainda, Singh disse ao Mirror que Scotcher foi diagnosticada com câncer quando era adolescente, mas entrou em remissão. No ano passado, ela disse à família que tinha voltado e que era terminal.

No segundo semestre de 2020, Megan arrecadou as doações de caridade, incluindo de uma pessoa que participou de um passeio de bicicleta de mil quilômetros para arrecadar dinheiro para ela e seus filhos.

Scotcher contou para a mãe que estava com um câncer terminal e que só viveria até janeiro deste ano. No entanto, a avó dos filhos de Scotcher ficou desconfiada quando a filha não deixou a mãe acompanhá-la nas consultas médicas. A desculpa de Megan era a Covid-19. 

A mulher, que não tem antecedentes criminais se declarou culpada de fraude por link de vídeo em uma audiência no mesmo tribunal em 3 de junho. Ela disse à polícia que se endividou com um ex-parceiro.

O juiz Steven Coupland responsável pelo caso disse a Scotcher: que você fez foi sério e causou muitos transtornos à família, amigos e pessoas que generosamente contribuíram e que se sentiram usadas”.

Contudo, a pena foi suspensa por um ano e a condenada ficará sob observação da Justiça.


- Com informações do jornal Mirror UK


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários