Mulheres protestam no Afeganistão
Reprodução
Mulheres protestam no Afeganistão

Um dos líderes culturais do grupo fundamentalista islâmico Talibã, Ahmadullah Wasiq, confirmou nesta quarta-feira (8) que as mulheres do Afeganistão não poderão mais praticar esportes que "exponham seus corpos".

Em uma entrevista à emissora australiana "SBS", Wasiq defendeu que a presença de mulheres no esporte é algo desnecessário. O vice-chefe da comissão cultural do Talibã comentou especificamente sobre o críquete, uma das atividades esportivas mais populares do Afeganistão e da Ásia.

"Não acho que as mulheres poderão jogar críquete, porque não é necessário que elas joguem. Elas podem estar em situações em que seu rosto ou corpo não estão cobertos, e o Islã não permite que as mulheres sejam vistas dessa forma", afirmou Wasiq.

A federação afegã de críquete revelou ao jornal "The Guardian" que ainda não recebeu nenhum comunicado oficial do Talibã sobre o tema. No entanto, a entidade confirmou que o programa de formação para mulheres foi suspenso.

No mês passado, Wasiq autorizou que os times masculinos de críquete continuassem jogando normalmente, até participando de campeonatos internacionais.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários