Ex-ministro afegão agora trabalha como entregador de comida
Reprodução/Twitter
Ex-ministro afegão agora trabalha como entregador de comida

Um ex-ministro afegão que se cansou da corrupção do governo, antes do Talibã assumir o poder do país, agora trabalha como motorista de entrega de comida na Alemanha.

Syed Saadat fez as malas e deixou o Afeganistão para Leipzig, na Alemanha, em 2020, depois de deixar seu cargo ministerial. Ele conseguiu se estabelecer na Europa porque tem dupla cidadania afegã-britânica. E decidiu começar uma nova vida na Alemanha por acreditar que haveria oportunidades de emprego seguro.

Ganhando 12 euros por hora, Syed faz entregas de refeições de bicicleta pela empresa Lieferando, uma filial alemã do serviço de entrega de comida Just Eat.

O ex-ministro passou dois anos trabalhando para o governo do Afeganistão e diz que "não há vergonha" em sua nova ocupação. “Trabalho é trabalho”, destacou. "Se há trabalho, significa que há demanda pública ... Alguém tem que fazer".

De pé em seu uniforme laranja ao lado de sua bicicleta, o homem de 49 anos disse à Reuters que havia renunciado ao governo afegão devido a desentendimentos com membros do círculo do presidente. "As demandas deles eram para benefício privado, eu queria que o dinheiro para os projetos do governo fossem implementados de forma adequada", explicou.

Você viu?

"Então, eu não pude atender às suas demandas e eles tentaram me empurrar, colocar pressão sobre mim do lado do presidente".

Syed possui dois mestrados em TI e telecomunicações, ambos obtidos na Oxford University, e construiu uma carreira de 23 anos trabalhando para mais de 20 empresas em 13 países diferentes. Seu currículo inclui o emprego como consultor técnico do ministério de comunicação e informação do Afeganistão de 2005 a 2013, e o diretor executivo da Ariana Telecom em Londres de 2016 a 2017.

Apesar disso, ele achou difícil seguir uma carreira relevante na Alemanha devido à sua falta de conhecimentos linguísticos. Mas vem trabalhando para superar isso, passando quatro horas pela manhã em uma escola de alemão antes de começar seu turno de seis horas na bicicleta.

De acordo com relatos da iNews, ele acreditava que poderia trabalhar como conselheiro dentro do governo alemão. "Posso aconselhar o governo alemão sobre o Afeganistão para que o povo afegão possa se beneficiar, porque eu reflito a verdadeira imagem lá", disse ele.

Syed é um dos milhares de afegãos que se estabeleceram na Alemanha nos últimos anos. O número deve aumentar nos próximos meses, após a  retirada das tropas dos EUA no Afeganistão e o ressurgimento do Talibã.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários