Militares foram acusados por desaparecimento e mortes de civis
Reprodução/Twitter
Militares foram acusados por desaparecimento e mortes de civis

Nesta terça-feira (6), o tribunal da JEP (Jurisdição Especial para a Paz) da Colômbia acusou 10 militares e um civil pelo desaparecimento forçado de 24 pessoas e pelo assassinato de pelo menos 120. Além disso, os suspeitos também teria apresentado as vítimas falsamente como guerrilheiros mortos em combate. As informações são da agência Reuters .

De acordo com a publicação, é a primeira vez que a JEP acusa militares do Exército do país desse tipo de ação. As acusações, conhecidas como escândalo dos falsos positivos, são relacionadas a soldados que mataram civis e os classificaram como guerrilheiros abatidos em combates, a fim de conseguirem promoções ou outros benefícios.

Os homicídios teriam sido relatados como parte das mortes em combates na região de Catatumbo, entre janeiro de 2007 e agosto de 2008, disse o tribunal. Entre os acusados estão um general, seis oficiais, três oficiais não-comissionados e um civil. Já entre as vítimas estão agricultores e varejistas, entre outros.

"Era um padrão de macrocriminalidade, ou seja, a repetição de ao menos 120 assassinatos durante dois anos na mesma região, cometidos pelo mesmo grupo de pessoas associadas a uma organização criminosa e seguindo o mesmo modus operandi", afirmou a magistrada Catalina Diaz.

O tribunal da JEP foi criado em 2016 para processar ex-membros das Farc (antigas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) e líderes militares por supostos crimes de guerra.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários