Ferimentos sofridos pelas vítimas “foram o resultado do uso de violência extrema e intensa”, disse a polícia em um comunicado
Reprodução/AFP
Ferimentos sofridos pelas vítimas “foram o resultado do uso de violência extrema e intensa”, disse a polícia em um comunicado

Nesta quinta-feira (29), a Justiça solicitou a prisão de uma funcionária de 51 anos suspeita de ter matado quatro pessoas e deixado uma gravemente ferida em um centro para pessoas com deficiência na Alemanha . O motivo do  ataque ainda não foi esclarecido. As informações são da agência de notícias AFP .

As vítimas foram esfaqueadas na noite desta quarta-feira (28) em uma cidade ao lado de Berlim, informou o jornal Bild . A polícia disse, em comunicado, que os ferimentos foram decorrentes do "uso de violência extrema e intensa".

A prisão preventiva da funcionária foi solicitada sob "fortes suspeitas", mas não uma possível admissão na ala de psiquiatria, informou uma porta-voz da Promotoria de Potsdam, Hanna Urban, à AFP . A suspeita será apresentada a um juiz, que decidirá sobre a prisão. Segundo as informações, a mulher detida até o momento se recusou a falar sobre os fatos.

Massacre

As vítimas foram encontradas em quartos diferentes do centro e, de acordo com a mídia local, algumas pessoas viviam no local desde a infância. O estabelecimento Thennelda von Saldern Haus é especializado em acolher pessoas com deficiências físicas ou mentais. Cerca de 65 pessoas vivem neste instituto, que emprega mais de 80 pessoas.

Equipes policiais foram enviadas ao estabelecimento para coletar evidências do crime, enquanto os moradores da região colocavam velas e flores em frente ao local. Nesta quinta-feira está agendado um memorial para as vítimas do ataque.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários