Bois estão presos em navios há mais de dois meses
Reprodução/Animal Welfare Foundation
Bois estão presos em navios há mais de dois meses



Mais de 2.600 bois estão há mais de dois meses confinados em navios que ainda não conseguiram atracar em nenhum país. Os animais saíram da Espanha pouco antes do Natal com destino à Turquia , onde seriam desembarcados para o abate. Até hoje, porém, isso não aconteceu, e as condições em que os animais se encontram são difíceis de precisar. As informações são da coluna Histórias do Mar, do Uol.

Os bois estão dividido em dois navios: o Elbeik, com 1776 cabeças de gado , e o Karim Allah, com 895 bezerros. Ambos foram impedidos de atracar na Turquia e em países vizinhos, como Líbia, Egito, Tunísia e Chipre, porque os governos alegam que o gado está contaminado com a chamada " doença da língua azul ".

A condição não afeta seres humanos, mas pode se disseminar entre outros animais. De acordo com o Ministério da Agricultura da Espanha , porém, os bois não estão contaminados e estavam 100% sadios quando embarcaram. Há dois meses, os dois navios têm vagado de porto em porto tentando desembarcar a carga animal, mas não houve autorização de nenhum país.

Bois ainda estão vivos?

Entidades de proteção animal temem que grande parte dos bois já tenha morrido, e que os que ainda permanecem vivos estejam em situações precárias.

Você viu?

"Só queremos que, ao menos, veterinários possam embarcar e examinar os animais que estão confinados nos dois navios, e fazer a eutanásia dos que estão sofrendo e que não terão mais condições de sobreviver", diz a representante da ONG Animal Welfare Foundation, a espanhola Maria Boada Saña, ao Uol.

"Estimo que boa parte dos animais já esteja morta, de fome e de sede. E os que ainda estão vivos estão vivendo um verdadeiro inferno nos porões daqueles navios", completa Sylvia Barquero, diretora da ONG Animal Equality, também da Espanha, ao Uol.

Por onde andam os navios?

O navio Karim Allah finalmente recebeu autorização da Espanha, na última segunda-feira, para voltar ao porto de Cartagena, de onde partiu. Quando chegar lá, no entanto, não poderá desembarcar a carga viva , já que o governo espanhol orientou que os animais sejam sacrificados para evitar riscos. Isso levantou a suspeita de que os bois estejam realmente contaminados. Os donos das cargas se recusam a sacrificar os animais, o que tem tornado essa história ainda mais difícil de ser resolvida.

Além disso, há um tempo, o comandante do navio parou de pedir o abastecimento de ração bovina e não tem deixado veterinários entrarem a bordo, o que fez com que defensores dos sireitos dos animais suponham que todos os bois já morreram. De acordo com o Ministério da Agricultura da Espanha, porém, "apenas 15 animais estavam mortos no Karim Allah".

Enquanto isso, o navio Elbeik está na ilha de Chipre depois de não conseguir atracar na Turquia, Líbia, Egito e Tunísia. Por lá, o comandante espera receber ração e, depois disso, deve regressar à Espanha.

Essa não é a primeira vez que navios com cargas vivas sofrem grandes problemas. Para os defensores da causa animal, esse tipo de transporte deveria ser proibido. 

"A exportação de animais vivos em navios para o abate no destino precisa ser imediatamente banida no mundo inteiro. Precisamos parar com o cruel sofrimento dos animais durante as longas travessias em navios sem condições para isso", disse Sharon Núñez, presidente da ONG Animal Equality, ao Uol.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários