Ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump
Shealah Craighead/Official White House Photo
Ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump

O segundo julgamento de impeachment de Donald Trump, que começa nesta terça-feira (9) no Senado americano, terá algumas diferenças em relação ao primeiro, a começar pelo prazo: acusação e defesa querem concluir os trabalhos o quanto antes. Além disso, caso seja condenado, o ex-presidente pode enfrentar uma votação que o impediria de concorrer em futuras eleições. Veja os principais pontos do julgamento.

O julgamento não tem prazo para terminar, mas os dois lados sinalizaram querer um processo rápido. Alguns parlamentares e analistas dizem que a votação final pode acontecer em uma, no máximo duas semanas, mas isso pode mudar caso haja a convocação de testemunhas.

Ao contrário do primeiro impeachment, a sessão vai ser presidida pelo senador democrata Patrick Leahy, o mais idoso democrata no Senado. No julgamento anterior, esse papel coube ao presidente da Suprema Corte, John Roberts.

Pelas regras que estão perto de serem acertadas pelas lideranças democrata e republicana, o primeiro ato do julgamento será um debate de quatro horas sobre a legalidade do processo. A defesa de Trump e vários senadores dizem ser ilegal julgar um ex-presidente na Casa. Depois do debate ocorrerá uma votação sobre o tema.

Você viu?

Na quarta-feira começa a fase das exposições da defesa e da acusação, cada lado com 16 horas à disposição, podendo o tempo ser dividido em vários dias. O julgamento será paralisado entre o final da tarde de sexta-feira e sábado: foi um pedido de um dos advogados de defesa, David Schoen, que é judeu e geralmente não trabalha durante o sabá.

As lideranças também abriram caminho para que fossem votadas convocações de testemunhas, por maioria simples, além dos debates em torno dos nomes. Há pressão por parte dos democratas para que esse mecanismo não seja usado para acelerar o julgamento.

Ao final das alegações e possíveis testemunhas, os senadores votarão sobre a condenação de Donald Trump por "inicitação à insurreição" contra a ordem democrática. São necessários 67 votos para considerá-lo culpado, o que jamais ocorreu nos três processos anteriores. Até o momento, apenas 55 senadores se mostraram a favor de condenar o ex-presidente: além dos 48 democratas e 2 independentes, 5 republicanos defendem a punição.

Caso seja condenado, uma segunda votação será realizada, sobre o veto a futuras candidaturas de Trump a cargos públicos. Neste caso, seria necessária maioria simples.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários