Ruhollah Zam é considerado um jornalista dissidente e foi capturado em 2019
Foto: Reprodução/Bayan Media
Ruhollah Zam é considerado um jornalista dissidente e foi capturado em 2019

O jornalista e ativista Ruhollah Zam, de 42 anos, foi enforcado hoje (12) no Irã, de acordo com uma TV estatal. Zam foi condenado à pena de morte por liderar protestos contra o governo do Irã em 2017.

"O contrarrevolucionário Zam foi enforcado durante a manhã, após a confirmação de sua sentença pela Suprema Corte devido à gravidade dos crimes cometidos contra a República Islâmica", anunciou a televisão estatal, neste sábado.

Ruhollah Zam era responsável pelo canal on-line Amadnews, que tinha mais de um milhão de seguidores. Ele chegou a fugir do Irã e receber asilo na França, mas foi capturado.

Em outubro de 2019, a força da Guarda Revolucionária do Irã disse que prendeu Zam em uma "complexa operação de inteligência" sem informar onde  ocorreu.

A Nour News, uma agência de notícias próxima à Guarda Revolucionária, informou ainda que, "depois de viajar para o Iraque em setembro de 2019, ele [Zam] foi preso por agentes do serviço de inteligência da Guarda Revolucionária e levado ao Irã".

O grupo de direitos humanos Anistia Internacional criticou fortemente a decisão da pena, que foi mantida na última terça-feira pela Suprema Corte do país. "A Suprema Corte do Irã sustentando a sentença de morte de #RouhollahZam, um jornalista e dissidente, é uma escalada chocante no uso da pena de morte pelo Irã como arma de repressão", disse em um documento.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários