Restaurante Cidade do México
Reprodução/Twitter/SDP Noticias
Homenagens foram feitas na porta de um dos restaurantes das vítimas

Nesta terça-feira (1°), a polícia da Cidade do México confirmou a prisão de três suspeitos de participação na morte dos donos de um restaurante e do roubo de cinco garrafas de vinho avaliadas em mais de R$ 1,3 milhão. O crime ocorreu no último sábado (28) e gerou grande comoção na cidade.

Segundo informações da BBC, os corpos do franco-mexicano Baptiste Lormand, de 45 anos, e Luis Orozco, mexicano que era sócio da outra vítima em diversos estabelecimentos na região de Polanco, foram encontrados na região sul da cidade. Investigadores acreditam que eles tenham sido mortos para que o trio tivesse acesso à adega onde os vinhos eram armazenados. Cada uma das garrafas tem valor estimado de 50 mil dólares (cerca de R$ 260 mil).

Ainda de acordo com a publicação, parentes e amigos próximos de Lormand pensaram inicialmente, após serem informados da morte, que ele poderia ter sido vítima de extorsão , ao se recusar a pagar o valor cobrado por gangues que "mantém a segurança" em determinadas regiões da Cidade do México.

Porém, o responsável pelas investigações afirmou que tudo leva a crer que ele tenha reagido a um assalto e acabou sendo morto. Em entrevista, o chefe da polícia da Cidade do México, Omar Garcia, afirmou que "um número significante de garrafas de vinho foi encontrado com os suspeitos durante a prisão, além de uma grande quantidade de armas".

As mortes de Lormand e Orozco causaram grande comoção entre os moradores da Cidade do México , principalmente entre os integrantes da comunidade francesa na região. Desde o último sábado, diversas homenagens foram deixadas nas portas dos restaurantes geridos por eles. Além disso, foi realizada na última segunda-feira uma marcha de protesto pedindo por justiça.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários