Geórgia
Reprodução/Facebook
Estado terá recontagem dos votos por conta da pequena margem de vitória do candidato democrata

O governo da Geórgia, que é comandado pelo Partido Republicano, negou nesta quarta-feira (11) a existência de  fraudes nas eleições para presidente dos EUA no estado.

Com cerca de 99% da apuração concluída, o presidente eleito Joe Biden lidera na Geórgia , um histórico reduto republicano, com pouco mais de 14 mil votos de vantagem sobre Donald Trump.

"Não há indicações de fraudes eleitorais ", garantiu o secretário de Estado da Geórgia, Brad Raffensperger, em entrevista à CNN.

Como a diferença entre Biden e Trump no estado é de apenas 0,28 ponto percentual, haverá uma recontagem manual dos votos.

A legislação estadual determina que o perdedor tem direito de pedir uma nova apuração quando a vantagem do vencedor é inferior a meio ponto percentual. A imprensa americana ainda não projetou um vitorioso na Geórgia, de forma que Biden, que já conta com 279 dos 538 votos no colégio eleitoral, não precisa do estado para chegar à Casa Branca .

No entanto, a campanha de Trump já anunciou que também pedirá uma recontagem no Wisconsin (10 delegados), outro estado onde o democrata venceu por margem estreita.

    Veja Também

      Mostrar mais