voto
O Antagonista
Voto pelo correio afeta credibilidade das pesquisas de boca de urna nos EUA


Uma das representantes da Comissão Federal Eleitoral dos Estados Unidos , Ellen Weintraub, afirmou neste sábado (7) que "não há nenhuma evidência de fraudes" ou de "votos ilegais" nas eleições norte-americanas .



Em entrevista à "CNN", Weintraub afirmou que há "pouquíssimas denúncias" de supostos crimes, mas que nenhum deles foi confirmado até o momento.

"Oficiais estaduais e locais e trabalhadores das eleições por todo o país realmente se reforçaram. Há pouquíssimas denúncias substanciais, deixe-me colocar desse jeito. Não há nenhuma evidência de nenhum tipo de fraudes . Não há evidência de votos ilegais sendo contados. De fato, e você nem precisa levar minha opinião em conta, porque as pessoas por todo o país, especialistas em eleições apartidários, vieram e lidaram com essa eleição e como ela foi conduzida", disse Weintraub à "CNN".

Apesar de não citar nomes, a fala da representante da Comissão foi uma clara referência ao presidente e candidato à reeleição, Donald Trump, que desde o dia 3 de novembro está atacando a contagem de votos recebidos por correios porque eles estão beneficiando o seu adversário, o democrata Joe Biden.

Neste sábado, o republicano voltou a usar as redes sociais para acusar, sem nenhuma prova , que há "dezenas de votos ilegais, que foram recebidos após às 20h do Dia das Eleições". Por sua vez, Biden vem pedindo "paciência" aos norte-americanos para que todos os votos sejam contados.

Até o momento, o democrata lidera a disputa pelos delegados do Colégio Eleitoral, com 253 contra 213 de Trump, e está na frente na apuração de quatro dos seis estados que ainda estão apurando votos: Geórgia, Nevada, Pensilvânia e Arizona. O atual mandatário lidera no Alasca e na Carolina do Norte.

    Leia tudo sobre: Donald Trump

    Veja Também

      Mostrar mais