Papa
Agência Brasil
Papa Francisco demonstrou sua preocupação com a situação vivida no planeta por conta do fogo

O papa Francisco recordou neste domingo (11) os incêndios que estão atingido muitas partes do mundo, em particular as regiões centrais da América do Sul, como o Pantanal, o Paraguai, as margens do rio Paraná e a Argentina, além da costa ocidental dos Estados Unidos, principalmente a Califórnia.

"Muitos incêndios são provocados por uma seca persistente, mas também há os que são causados pelo homem", afirmou o Pontífice, após a oração do ângelus, no Vaticano.

Francisco manifestou também sua proximidade "às populações atingidas pelos incêndios que assolam muitas regiões do planeta, bem como aos voluntários e aos bombeiros, que arriscam a sua vida no combate aos incêndios".

Perante milhares de fiéis reunidos na Praça São Pedro, Jorge Bergoglio rezou para "que o Senhor apoie os que estão a sofrer as consequências desta catástrofe e nos torne atentos para preservar a criação".

Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o Pantanal teve 14% do seu bioma destruído pelo fogo durante o mês de setembro. O número em nove meses já supera toda a área devastada em 2019, sendo recorde desde 2002.

Os dados revelam que os incêndios já destruíram 26% de todo o bioma em 2020, em uma área de quase 33 mol quilômetros quadrados.

Conversa com padre brasileiro

Ver essa foto no Instagram

Atenção

Uma publicação compartilhada por Padre Julio Lancellotti (@padrejulio.lancellotti) em

No sábado (10), o pontífice ligou para o padre Júlio Lancelotti, vigário episcopal para a Pastoral do Povo da Rua, da Arquidiocese de São Paulo, para manifestar sua proximidade à população em situação de rua nesse período de pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

Segundo publicação na conta oficial do padre no Instagram, a ligação foi realizada às 14h15 (horário local), e o Pontífice demonstrou toda "simplicidade" e "proximidade" ao perguntar sobre a população de rua, a convivência com ela e as dificuldades enfrentadas.

No comunicado, Lancelotti informa que o Santo Padre disse ter visto as fotos da campanha realizada para os vulneráveis durante a pandemia, que lhes foram enviadas recentemente.

"O Papa disse que viu as fotos que enviamos pra ele e que sabe das dificuldades que passamos, mas que não desanimemos e façamos sempre como Jesus, estando junto dos mais pobres", diz o texto.

Na conversa com o brasileiro, Francisco pediu para seu "amor" e "proximidade" serem transmitidos a todos os moradores de rua, os quais estão em suas orações.

No último mês, Lancelotti virou alvo de ataques após o deputado estadual Arthur do Val (Patriota) , conhecido pelo pseudônimo "Mamãe Falei", e candidato à prefeitura de São Paulo, iniciar uma campanha difamando o padre, o chamando de "cafetão da miséria" e "uma das maiores farsas do Brasil" nas redes sociais.

O padre realiza trabalhos sociais para ajudar moradores de rua há 36 anos e, desde o início da pandemia, tem se dedicado intensamente à missão de reduzir o impacto do novo coronavírus entre os vulneráveis.

    Veja Também

      Mostrar mais