Rua coberta de água de enchente na Itália
Reprodução/Twitter/Cruz Vermelha
Várias regiões da Itália foram atingidas por inundações

A Itália já registra pelo menos cinco mortes após a passagem da tempestade Alex neste final de semana. A violenta onda de mau tempo começou no sábado (3), atingindo a região do Piemonte. Já neste domingo (4) foi a vez da Ligúria.

Quatro cadáveres foram recuperados ao longo da costa lígure, nas cidades de Sanremo (dois), Ventimiglia e Santo Stefano Al Mare, enquanto o quinto estava no leito de um rio, também em Ventimiglia. Os corpos ainda não foram identificados.

Existe a suspeita de que os cadáveres sejam de pessoas desaparecidas na França desde o último sábado - o país faz fronteira com a Ligúria e o Piemonte e também sofreu com os temporais. Segundo investigadores, fortes ventos podem ter levado os corpos do litoral francês para a costa lígure.

No último sábado, duas pessoas já haviam morrido devido ao mau tempo no noroeste da Itália, sendo um bombeiro voluntário atingido por uma árvore no Vale de Aosta enquanto fazia um resgate e um homem que teve o carro arrastado por uma enchente no Piemonte.

De acordo com o governo piemontês, pelo menos 108 municípios, quase 10% do total da região, sofreram danos nas tempestades do fim de semana. "Precisamos de intervenções estruturais que resolvam a situação de uma vez por todas", disse o governador Alberto Cirio.

"Na terça-feira [6], levarei à ministra [do Interior] Lamorgese uma primeira estimativa dos danos no Piemonte", acrescentou. O nível do rio Pó, que atravessa o norte da Itália, chegou a subir seis metros devido às chuvas.

Cerca de mil bombeiros também estão mobilizados neste domingo na região dos Alpes-Marítimos, sudeste da França, onde a tempestade Alex deixou um cenário de devastação. Ao menos 18 pessoas continuam desaparecidas, de acordo com o último balanço oficial.

A tempestade Alex atingiu primeiramente a região da Bretanha, no noroeste da França, na quinta-feira (1°). Cerca de 6 mil residências do local permanecem sem energia elétrica e o rio Tâmisa, no Reino Unido, transbordou.

Logo depois, o fenômeno se dirigiu ao sudeste da França, onde os ventos e as chuvas se intensificaram. Segundo a Météo France, principal serviço de previsão meteorológica do país, algumas regiões registraram o equivalente a três meses de chuva em apenas 10 horas.

    Veja Também

      Mostrar mais