boris johnson
Divulgação/Flickr
Boris Johnson, primeiro-ministro britânico, anunciou novas medidas de combate à disseminação do novo coronavírus

Vivendo a segunda onda de transmissão do novo coronavírus (Sars-Cov-2), o Reino Unido anunciou neste sábado (19) novas medidas de controle que buscam minimizar o aumento de casos, incluindo a possibilidade de multa de até 10.000 libras esterlinas a quem não cumprir o autoconfinamento em caso de contágio pela Covid-19. De acordo com a atual cotação da libra, a multa pode chegar a até R$ 69,6 mil.

O primeiro-ministro do Reino Unido , Boris Johnson, anunciou nesta semana a segunda onda de contaminação, introduzindo novas restrições para as regiões norte, noroeste e centro da Inglaterra, áreas mais afetadas. Na primeira onda, o país foi um dos mais afetados do mundo, com mais de 40 mil mortes e 300 mil casos. Nas últimas semanas, voltou a subir o número de casos, embora recentemente a letalidade do vírus seja menor, uma tendência mundial. Johnson reluta em impor novo confinamento total ao Reino Unido, mas criou pacote mais severo de recomendações.

Entre as medidas anunciadas em busca de inibir o aumento de casos, o governo tornou obrigatório o autoconfinamento a partir do dia 28 de setembro. A prática consiste em obrigar legalmente, sob ameaça de multa, que as pessoas com teste positivo se isolem em casa.

"A melhor maneira de combater o vírus é que todos sigam as regras e se isolem caso corram o risco de transmitir o coronavírus", disse o premiê britânico.

"Ninguém deve subestimar a importância dessas medidas, as novas regras significam que você é legalmente obrigado a aplicá-las se tiver sido infectado ou se o NHS [Serviço Nacional de Saúde, na sigla em inglês] solicitar", acrescentou Boris Johnson .

O Reino Unido pede que as pessoas com teste positivo para o novo coronavírus se isolem por 10 dias em casa, enquanto quem conviver com alguém com resultado positivo ou tiver sintomas da Covid-19 deve permanecer isolado por 14 dias. A violação dessa norma imporá multas que vão de 1.000 a 10.000 libras, entre R$ 6,9 mil e R$ 69,6 mil, a depender da recorrência e da gravidade da situação.

Citando a situação europeia na segunda  onda , Boris Johnson se mostrou pessimista: "estamos vendo isso [aumento de casos nas últimas semanas] na França, na Espanha, por toda a Europa. Temo que seja absolutamente inevitável acabarmos vendo isso neste país".

Durante este sábado, manifestantes antivacinas e antilockdown entraram em confronto com a polícia no centro de Londres, e 32 acabaram presos.

    Veja Também

      Mostrar mais