Papa
Agência Brasil
Francisco criticou postura de certos governantes e disse que tal decisão apenas cria "divisões"

O papa Francisco denunciou nesta quarta-feira (9), em sua audiência geral semanal no Vaticano, a existência de "interesses" que podem comprometer uma futura vacina contra o novo coronavírus.

Segundo o líder católico, a pandemia do Sars-CoV-2 "atinge todos", e a humanidade só conseguirá sair dessa crise "melhor" se buscar o "bem comum".

"Infelizmente, assistimos ao surgimento de interesses particulares. Por exemplo, há quem gostaria de se apropriar de possíveis soluções, como no caso das vacinas, para depois vendê-las a outros. Alguns se aproveitam da situação para fomentar divisões, para buscar vantagens econômicas ou políticas, gerando ou aumentando conflitos", disse o Papa.

"Outros simplesmente não se interessam pelo sofrimento alheio, passam e seguem por seu caminho. São os devotos de Pôncio Pilatos: lavam as mãos", acrescentou.

A audiência foi celebrada no Pátio San Damaso, ao invés da Praça São Pedro, tradicional palco do encontro semanal de Francisco com os fiéis antes da pandemia.

Com a necessidade de manter distanciamento e evitar aglomerações, o Vaticano mudou o local da audiência geral para um espaço menor desde 2 de setembro, quando voltou a admitir público no evento.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários