Crusoé


Boris
Reprodução
Saída do país no bloco está marcada para o fim de janeiro.

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson (foto), apresentou ao Parlamento nesta quarta, 9, um projeto de lei que muda o acordo que foi assinado com a União Europeia em janeiro para realizar o Brexit.

O projeto dá aos ministros britânicos o poder de modificar ou de não seguir regras relacionadas à movimentação de bens. Também dá a eles poderes para ajudar empresas, mesmo que a prática vá contra tratados feitos anteriormente. E o mais grave: o projeto de lei afirma que esses poderes devem ser aplicados mesmo que violem as leis internacionais.

A perspectiva de que o Reino Unido aprove uma lei que isenta o país de cumprir com leis internacionais é preocupante porque o governo têm até o final de outubro para chegar a um acordo de livre comércio com a União Europeia. A saída definitiva do país do bloco está marcada para o final de janeiro.

Uma possível explicação para a jogada de Boris Johnson é que isso seria uma maneira de obter concessões da União Europeia nos instantes finais das negociações. É uma aposta ousada, que pode deixar o país sem um acordo com a UE.

Nesta quarta, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, questionou o primeiro-ministro. “Estou muito preocupada com os anúncios do governo britânico sobre suas intenções de violar o Acordo de Retirada ( do Brexit ). Isso violaria o direito internacional e minaria a confiança”, escreveu Ursula no Twitter. “Os pactos devem ser respeitados.”

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários