Chile
Sergio Maureira/Zimel Press/Agencia O Globo
Caso aconteceu durante protestos em novembro de 2019

Um ex-policial foi preso nesta sexta-feira (28) no Chile depois de deixar uma mulher cega no Chile. O episódio aconteceu em meio aos protestos que tomaram conta do país em novembro do ano passado.

Fabiola Campillai foi atingida com uma bomba de gás lacrimogêneo no rosto enquanto esperava um ônibus para ir ao trabalho. Ela estava perto do local em que ocorria uma manifestação. Além de ficar cega, ela perdeu o paladar e o olfato.

O responsável foi identificado como Patricio Maturana, ex-capitão dos Carabineiros. A prisão aconteceu uma semana depois de a Justiça chilena prender o ex-tenente-coronel das Forças Especiais, Claudio Crespo. Ele foi responsável pelo disparos que cegaram Gustavo Gatica, 21, em Santiago.

Os casos de Campillai de Gatica são considerados os mais graves dos mais de 460 registros de lesões nos olhos durante os protestos. Os dados são do Instituto Nacional de Direitos Humanos (INDH). A maior parte das lesões foi causada por tiros de balas de borracha.

    Veja Também

      Mostrar mais