china
Bruno Fonseca/Agência Pública
#VirusChines


O embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, declarou em entrevista à revista Veja que a versão sobre o país ter criado o novo coronavírus (Sars-cov-2) em laboratório é "uma teoria da conspiração completamente absurda, que nunca se amparou em dados" e que fake news sobre o assunto prejudicam a união da comunnidade internacional, que ele destacou como um fator importante para o momento da pandemia. 


"Tanto a OMS quanto cientistas de vários países já reiteraram que todas as evidências disponíveis mostram que o novo coronavírus tem origem natural e não seria possível criá-lo artificialmente (...) O contágio desconhece fronteiras, tampouco distingue cor de pele, sistema político ou ideologia (...) ",  disse Wanming.

Yang Wanming foi veemente contra as acusações e disse que esperava desculpas. O embaixador preferiu não comentar sobre declarações do ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub , que fez comentários racistas sobre o sotaque dos chineses. 

"O importante não são casos pontuais, e sim o quase meio século de relações diplomáticas entre a China e o Brasil , um período de progressos significativos em todas as áreas. Não há atritos históricos nem conflitos de interesses essenciais entre os dois países, que compartilham uma vasta gama de objetivos comuns e mantêm sólida parceria. A disposição da China é de aprofundar o relacionamento com o Brasil no longo prazo", declarou.

O embaixador declarou que disseminar fake news sobre o país é um tática de política. "Distorcer os fatos para fazer ataques politizados ou estigmatizados é uma tática que atende aos interesses políticos de alguns e obstrui a cooperação global no enfrentamento da pandemia. Inclusive, como primeiro país atingido pela crise sanitária, fizemos grande esforço e enorme sacrifício para conter, em curto tempo, a propagação da doença no território nacional e para fora das fronteiras", afirma.

    Veja Também

      Mostrar mais