Projeto da Fiocruz de Minas Gerais é um dos mais adiantados no país
Divulgação/Fiocruz Minas
Projeto da Fiocruz de Minas Gerais é um dos mais adiantados no país

Empresas chinesas podem enfrentar dificuldades na testagem das vacinas contra o novo coronavírus (Sars-coV-2) devido ao baixo número de infectados no País. Os obstáculos surgem quando os ensaios chegam à terceira fase.

Para quem não sabe, os testes necessitam de dezenas de milhares de participantes para comprovar que não há efeitos colaterais na solução, mas com a pandemia da Covid-19 controlada no país, os laboratórios candidatos não conseguem essa quantidade de voluntários. A informação é da revista Nature .

Além dos voluntários, os laboratórios teriam que mobilizar profissionais da saúde para aplicarem a vacina e coletarem os dados dos participantes. Porém, muitos desses profissionais voltaram às suas atividades. 

"As empresas chinesas precisarão sair da China", declarou Jerome Kim, diretor geral do Instituto Internacional de Vacinas em Seul à revista. "A corrida começou, e ela é realmente sobre quem pode se instalar em uma área de alto risco mais rapidamente", continuou. 

No mês passado, a Sinovac lançou um estudo da terceira fase de testes da sua vacina no Brasil, já a Sinopharm testará suas vacinas inativadas nos Emirados Árabes. A terceira fase dos testes é considerada a mais importante para definir a segurança e eficácia da solução. Além da Sinovac e da Sinopharm , apenas outras três chegaram ao último estágio dos testes até agora, segundo a Nature . Com informações do Uol .

    Veja Também

      Mostrar mais