Frasco de remdesivir
Getty Images/BBC
O objetivo inicial do remdesivir era tratar o Ebola

A cientista-chefe da  Organização Mundial da Saúde  (OMS), Soumya Swaminathan, disse em entrevista coletiva nesta quinta-feira (2) que o medicamento antiviral remdesivir pode não ser eficaz para tratar pacientes com a Covid-19 , doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2). Segundo a cientista, pesquisas mostram resultados conflitantes nos testes com o remédio.

"Não sabemos se é eficaz, mas o plano é continuar com as pesquisas, precisamos responder a questões, como as taxas de mortalidade e de alta médica. Em algumas semanas, devemos ter mais resultados de estudos sobre taxas de mortalidade e altas médicas", afirmou Swaminathan.

Nesta segunda-feira (29), o Departamento de Saúde e Serviços Humanos (HHS, na sigla em inglês) dos Estados Unidos anunciou que o país comprou quase todo o estoque mundial do antiviral.

De acordo com o órgão, a administração do presidente Donald Trump fechou um "acordo incrível" com o laboratório Gilead, por 500 mil ciclos do medicamento nos próximos três meses.

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou no fim de junho o estudo com remdesivir com 105 pacientes hospitalizados com pneumonia grave causada pelo novo coronavírus. O medicamento, no entanto, ainda não tem a chancela do Ministério da Saúde, ao contrário do que acontece com a cloroquina, que não é recomendada pela OMS.

No fim de maio, relatório preliminar publicado no New England Journal mostrou a recuperação em pacientes hospitalizados com o novo coronavírus foi menor quem tomou o remdesivir em comparação com os pacientes que receberam placebo. A taxa de mortalidade também foi menor nesses pacientes.

Segundo a pesquisa, quem recebeu o remdesivir se recuperou, em média, após 11 dias. Enquanto isso, os que tomaram placebo tiveram recuperação em 15 dias. O relatório foi feito com testes realizados em 1.063 pacientes, mas alguns desistiram no meio do estudo e outros morreram antes do período de avaliação.

Já a taxa de mortalidade, analisada dentro do período de 14 dias, foi de 7,1% no grupo que recebeu o remdesivir. O grupo que recebeu placebo apresentou taxa de 11,9%.

Apesar dos bons resultado, a cientista-chefe alertou que há outros estudos que mostram que o medicamente antiviral pode não ser eficaz no tratamento da Covid-19.

    Veja Também

      Mostrar mais