Conhecida pelo frio extremo, região tem sido atingida por forte onda de calor
Reprodução
Conhecida pelo frio extremo, região tem sido atingida por forte onda de calor

Conhecida por ter entrado no livro do recordes como a cidade mais fria do mundo, ao registrar incríveis -68ºC em fevereiro de 1892, Verkhoyansk, localizada no leste da Sibéria, vem enfrentando um novo problema neste verão europeu: as altas temperaturas.

No último final de semana, os termômetros marcaram 38ºC. Segundo informações de fontes meteorológicas da Rússia, este foi o maior valor registrado na cidade desde o início das medições na década de 1880 e pode também ser o mais alto já observado acima do Círculo Polar Ártico.

De acordo com o Guinness World Records,  Verkhoyansk é também a cidade com a maior amplitude térmica, definida pela diferença entre a maior e a menor temperatura, mas fica atrás da também siberiana Oymyakon quando se trata de média de temperatura no inverno: -48,3ºC contra -50ºC.

Imagens mostram onda de calor que atingiu a região da Sibéria
Reprodução
Imagens mostram onda de calor que atingiu a região da Sibéria

A onda de calor, causada por um " anticiclone oriental ", tem chamado a atenção das autoridades por estar ocorrendo mais cedo do que o esperado. Normalmente, a região russa costuma enfrentar aumentos de até 30ºC ao longo do verão , mas isso ocorre apenas em julho, não em junho.

Os responsáveis pelas medições apontam ainda o risco de possíveis incêndios florestais causados pela onda de calor . Tal mudança mostra que o Ártico está aquecendo duas vezes mais rápido do que a média global e já tem teve temperatura média 10 graus acima do normal para a região.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários