Restrição foi feita para evitar mais contaminações pelo novo coronavírus
Agência Brasil
Restrição foi feita para evitar mais contaminações pelo novo coronavírus

Os Estados Unidos (EUA) anteciparam nesta segunda-feira (25) o bloqueio à entrada de passsageiros que têm como o origem o Brasil para evitar a proliferação do novo coronavírus (Sars-CoV-2). A medida passaria a valer a partir de sexta-feira, mas, de acordo com um comunicado da Casa Branca, o vigor dela será a partir desta quarta.

A proibição foi anunciada por autoridades americanas no domingo, dois dias depois de o Brasil ultrapassar a marca de dois mil mortos pela Covid-19 . O anúncio havia sido feito pela secretária de imprensa da Casa Branca, Kayleigh McEnany. "A ação de hoje irá garantir que estrangeiros que estiveram no Brasil não se tornem uma fonte adicional de infecções em nosso país. Essas novas restrições não se aplicam aos voos comerciais entre os EUA e o Brasil", disse.

Leia também: "Estamos tranquilos e serenos", diz Ministério da Saúde sobre uso da cloroquina

Com a mudança, a partir desta terça não poderão entrar nos EUA estrangeiros que tiverem passado pelo Brasil nos últimos 14 dias antes de tentarem ingressar no país.

Você viu?

A restrição, no entanto, tem algumas restrições. Elas não serão aplicadas a pessoas que morem nos Estados Unidos, que sejam casadas com um cidadão americano ou que tenham residência permanente no país. Filhos ou irmãos de americanos ou residentes permanentes também poderão entrar, desde que tenham menos de 21 anos.

Leia também: Covid-19: OMS registra 5,3 milhões de casos e 342 mil mortes no mundo

Já para membros de tripulações de companhias aéreas ou pessoas que ingressem no país a convite do governo dos EUA, o bloqueio é suspenso.

Nesta segunda-feira, o Brasil registrou 374.898 casos de contaminação pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2) e 23.473 mortes provocadas pela Covid-19 . O país líder no quadro mundial são os Estados Unidos, que tem 1.660.072 contaminações e 98.184 óbitos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários