homem olhando para quadros
Reprodução/Facebook
Igrejas da Itália devem reabrir no mês de maio

A Conferência Episcopal Italiana (CEI) e o governo do país fecharam um acordo para permitir a retomada das missas e celebrações religiosas a partir do fim do mês de maio, informou o presidente da entidade católica, cardeal Gualtiero Bassetti. As cerimônias estão suspensas desde o início do mês de março por conta da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

"Exprimo a minha satisfação, dos bispos e, de maneira geral, da comunidade eclesial por termos chegado à definição das linhas gerais de um acordo que permitirá, nas próximas semanas, com base na evolução da curva epidemiológica, de retomar a celebração da missa com o povo", disse Bassetti. Segundo o religioso, a retomada das cerimônias deve ocorrer entre os dias 24 e 30 de maio, mas a data ainda será anunciada.

Leia também: Covid-19: número diário de mortos volta a subir na Itália

A discussão não inclui a realização dos funerais, que já estão autorizados a partir dessa segunda-feira (04). A decisão vem após semanas de críticas da CEI - e também de entidades evangélicas e muçulmanas - que não foram autorizadas a retomar suas ações nesta segunda, dia em que se inicia a chamada fase dois do combate à Covid-19. No comunicado deste fim de semana, porém, Bassetti agradeceu o governo italiano e, em especial, o ministro da Saúde, Roberto Speranza, e o Comitê Técnico-Científico (CTS) de combate à pandemia.


"Me sinto obrigado a enviar um pensamento de gratidão ao ministro e ao CTS porque essa tempestade, inédita e dramática, colocou nas costas deles uma carga de enorme responsabilidade", destacou.

Leia também: Covid-19: Evangélicos, muçulmanos e católicos protestam contra governo da Itália

Bassetti ainda pediu para que tanto os religiosos responsáveis pelas celebrações como para os fiéis que "não baixem a guarda" nesse momento de "renascimento" para todo o país. "Como repetimos nesses meses, adotem as medidas sanitárias na questão do respeito da saúde de todos bem como respeitem as indicações do tempo necessário para tutelá-la da melhor maneira", pontuou.

Apesar de não ter sido divulgado em sua totalidade, o novo protocolo sanitário incluirá a exigência de disponibilização de álcool em gel nas igrejas e o respeito à distância social segura dentro das estruturas. E, para aquelas paróquias que tiverem condições financeiras, deve ser realizada a medição de temperatura de todos que entrarem nos templos.

    Veja Também

      Mostrar mais