Rússia
Pixabay/Michel van der Vegt
Além da Rússia, protestos contra o isolamento também são registrados nos Estados Unidos e Brasil

Centenas de manifestantes se reuniram em Vladikavkaz, capital da Ossétia do Norte-Alânia, na Rússia, para protestar contra o isolamento social e desemprego nesta segunda-feira. As informações foram reveladas pelo canal de TV estatal russo Alania. 

LEIA MAIS: Opositores se unem para criar governo de emergência em Israel

Em vídeos publicados nas redes sociais, os manifestantes pedem a renúncia do líder local e suporte das autoridades para impedir a demissão em massa causada pela pandemia. Apesar dos esforços dos vereadores e juízes da região, as manifestações estão ficando cada vez maiores na Ossétia do Norte-Alânia, afirma a agência de notícias RIA Novisti.

A mídia russa ainda repercutiu a prisão dos três líderes do movimento, afirmando que novas ações serão monitoradas pela polícia. Entre os organizadores, há um cantor de ópera que ganhou popularidade em suas publicações na internet, onde afirma que a Covid-19 seria uma doença “inventada pelas autoridades”. A propagação de fake news também será caso de investigação da polícia cibernética. 

“Convocar a população a violar o regime de isolamento é uma circunstância que ameaça a saúde e vida de milhões de russos. Informações sobre o vírus ser uma doença falsa não correspondem com a realidade”, afirmam as autoridades locais. Entre os quinze países mais afetados pela Covid-19, apenas Brasil, Estados Unidos e Rússia registram manifestações contra o isolamento. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários