Michael Ryan
Reprodução/OMS
Michael Ryan

Após um questionamento sobre a demissão do ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, a Organização Mundial de Saúde ( OMS ) afirmou nesta sexta-feira que já está ciente do afastamento e diz que é essencial que “não só o Brasil, mas todos os países tomem decisões baseadas em evidências”. A declaração foi feita pelo diretor de programas de emergência da OMS, Michael Ryan.

Ryan também agradeceu ao ex-ministro pelo trabalho feito no país e acrescentou que "todos temos o dever de proteger nossas populações mais vulneráveis". O secretário, então, aproveitou a oportunidade para falar da Opas, o escritório da OMS na América do Sul , e reforçar a relevância da união entre os países no momento.

Leia mais: Após acúmulo de corpos, hospital no AM utilizará contêiner frigorífico

Em discurso de despedida na cerimônia de posse de Nelson Teich, o ex-ministro da saúde Luiz Henrique Mandetta afirmou que o mundo será dividido em "antes e depois da pandemia". Segundo ele, todas as economias vão sofrer com a crise do novo coronavírus.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários