hospital
Reprodução
HPS João Lúcio, em Manaus

Um contêiner frigorífico foi a solução encontrada pela Secretaria de Saúde do Amazonas para resolver o acúmulo de corpos no Hospital Pronto Socorro João Lúcio, em Manaus. O espaço foi entregue ao hospital para manter isoladas as vítimas e casos suspeitos de Covid-19 que vieram a óbito. 

"A medida é necessária para evitar a permanência dos corpos dentro do hospital durante o período em que as famílias são avisadas com a dignidade e o cuidado necessário, e assim possam providenciar o breve funeral e sepultamento", informou, em nota, a secretaria.

Leia mais: Fiocruz condena ameaças de morte a pesquisadores de cloroquina

Esta não é a primeira vez que um hospital no estado necessita da intervenção para o manuseio de corpos. Há algumassemanas, o Hospital Delphina Aziz - referência em atendimento nos casos da Covid-19 - recebeu a instalação. Ainda segundo a secretaria, a solução é temporária e visa a manutenção da segurança biológica até a construção de novos leitos e ampliação de espaços em outros hospitais da cidade.

Até a última atualização do Ministério da Saúde, o Amazonas havia registrado 1.719 casos confirmados de covid-19, com 124 mortes. A taxa de letalidade do estado, de 7,2% é maior do que a média brasileira, de 6,3%. 

Entre os casos confirmados, há 688 pessoas internadas em hospitais, sendo 154 pacientes já confirmados com o novo coronavírus - que ocupam leitos de enfermaria, e 84 pacientes da Unidade de Terapia Intensiva (UTI). 


    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários