Moon Jae-in arrow-options
Reprodução/Instagram
Presidente da Coreia do Sul busca reeleição

A Coreia do Sul vai realizar nesta quarta-feira (15) as primeiras eleições nacionais a acontecer em meio à pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2). Pesquisas preliminares apontam que comparecimento às urnas não foi afetado pela crise. O atual presidente, Moon Jae-in busca a reeleição.

Leia também: EUA: "normalização prematura" pode gerar segunda onda da Covid-19 no país

A Coreia do Sul adota um sistema no qual é possível votar antecipadamente. Desde a última quarta-feira (8), cerca de 11 milhões de pessoas já haviam votado, para evitar aglomerações. Além do presidente, os sul coreanos vão eleger também os 300 representantes da Assembleia Nacional.

No mundo todo, eleições vêm sendo adiadas por conta da pandemia . A Coreia do Sul, porém, nunca adiou uma eleição e desta vez pesquisas indicavam que os eleitores preferiam manter as datas previstas, mesmo que elas acontecessem com longas filas e maior tempo de espera em função dos cuidados tomados por conta do vírus.

Leia também: Argentina pode apostar em imposto sobre grandes fortunas para combater Covid-19

Coronavírus

A pandemia mudou a forma como as eleições acontecem. Durante a campanha, candidatos deixaram de fazer comícios e realizaram apenas alguns discursos para grupos pequenos. Os cumprimentos entre os competidores passaram a ser feitos com os cotovelos.

Além disso, antes de votar os eleitores têm suas temperaturas medidas, lavam as mãos e vestem luvas de plástico e máscara de proteção. 

Leia também: "Não estamos no pico ainda", alerta OMS sobre pandemia de Covid-19

A Coreia do Sul é hoje um exemplo na forma como lidou com a Covid-19 . O pico foi atingido no fim de fevereiro, quando os casos diários passavam de 900 e hoje são registrados cerca de 50 casos de infecção por coronavírus por dia. A forma como o presidente Moon Jae-in lidou com a pandemia ocupou o centro do debate eleitoral.

    Veja Também

      Mostrar mais