Portugal se prepara para suprir demanda de caixões às vítimas de Covid-19
Twitter/Reprodução
Portugal se prepara para suprir demanda de caixões às vítimas de Covid-19

Apesar de apresentar progressão mais lenta no número de casos, Portugal continua se preparando para uma eventual subida no número de mortes por Covid-19 . O país tem aumentado a capacidade de frigoríficos para armazenar corpos e estocado caixões para suprir a demanda de óbitos.

As cidades de Lisboa, Porto, Coimbra, Braga, Castelo Branco, Faro, Portimão e Vila Franca de Xira já tiveram a capacidade reforçada. "Está programada uma monitorização diária da capacidade das câmaras frigoríficas das delegações, em Lisboa, Porto e Coimbra, e gabinetes médico-legais e Forenses, instalados em hospitais, existindo partilha de câmaras frigoríficas", informou uma fonte do ministério.

Veja mais: SP mantém decisão de notificar apenas casos graves de Covid-19

No Hospital de Braga, um caminhão frigorífico foi instalado. Junto ao necrotério, estarão também duas câmaras refrigeradoras, uma do Ministério da Justiça (Instituto de Medicina Legal) e outra do Ministério da Saúde.

Vítor Teixeira, presidente da Associação de Agentes Funerários de Portugal, que representa cerca de 300 funerárias do Norte, confirma que o setor está se preparando. "Estamos precavidos com mais caixões, que no fundo é o elemento mais importante num funeral. Notei que houve uma necessidade de tornar o estoque maior. É por precaução. Não creio que vá haver um grande aumento de mortes", disse.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários