Mercado
shutterstock
Governo combinou pagar 84 pesos por 1 kg de lentilha, mas recebeu apenas 500 gramas de fornecedores


Mediante sete resoluções, o Ministério do Desenvolvimento Social da Argentina realizou compras milionárias de alimentos durante a pandemia do novo coronavírus que afeta o país; em especial, a capital Buenos Aires . De acordo com o jornal La Nación, o governo teria pago até 50% a mais que os valores máximos permitidos pela quantidade de azeite, macarrão, arroz e lentilha que vão nas cestas básicas. 

LEIA MAIS: Ex-oficiais pedem aos EUA sanções brandas para o Irã

O caso que mais chama atenção é o do azeite. A resolução governamental autorizou a compra de 1,7 milhão de garrafas de 1,5 litro, solicitada pela Secretaria de Articulação de Política Social. A normativa estabelece que o valor das garrafas deveria estar indexado em 98 pesos, quando na verdade, o valor encomendado pelo governo foi de 157,80 (da empresa Indigo) e 157,67 pesos (para a Copacabana.

Outra polêmica envolve as lentilhas. O governo argentino encomendou três lotes de 340 mil latas de lentilha de três marcas, com valores que alternam entre 84 e 85 pesos para 1 kg do alimento. As autoridades, entretanto, receberam latas de 500 gramas, metade da quantidade combinada previamente. De acordo com uma fonte do Ministério do Desenvolvimento Social da Argentina, ouvida pelo La Nación, o governo já solicitou que os preços sejam revistos na manhã desta segunda-feira (06). 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários