Vladimir Putin, residente da Rússia, defende suspensão das sanções durante pandemia do coronavírus
Reprodução/CNN
Vladimir Putin, residente da Rússia, defende suspensão das sanções durante pandemia do coronavírus


A Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou na noite desta quinta-feira (02) sua primeira resolução sobre a pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2), causador da Covid-19 , pedindo “cooperação internacional” e “multilateralismo” no combate à doença.   

A declaração não foi apoiada por cinco países-membros – Rússia , Cuba , Nicarágua , República Centro-Africana e Venezuela . Todos queriam que fosse aprovada uma resolução criada pelos russos que, além de pedir a cooperação no combate à Covid-19 , visava a suspensão geral e temporária das sanções internacionais .

Leia também: Com apenas 20 pacientes, navio-hospital é criticado nos EUA: "grande piada"

Moscou é alvo dessas medidas por conta de sua interferência na crise da Ucrânia , apoiando os rebeldes pró-separatistas. Segundo diplomatas, agiram contra essa medida os representantes da União Europeia , do Reino Unido e da própria Ucrânia.   

Contra a discriminação

O texto aprovado ainda pede que, mesmo durante essa crise, “há a necessidade de respeitar plenamente os direitos humanos” e denuncia “qualquer forma de discriminação, o racismo a xenofobia na resposta a ser dada contra a pandemia”.

Apesar da alta adesão à declaração da Assembleia Geral, ela não é vinculante e os países não estão obrigados a segui-la. No mundo, os casos da C ovid-19 ultrapassaram a barreira de 1 milhão de casos. Já as mortes, passam de 53 mil.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários