Parlamento União Europeia
Stephane Corvaja/ESA/Creative Commons
Segundo especialista, adoção de medidas nacionalistas pode levar países a seguirem o exemplo do Reino Unido e deixarem o bloco.

Desde que a pandemia do novo coronavírus começou, a Europa foi um dos continentes mais afetados.  Segundo dados da John Hopkins University , que está monitorando o avanço da doença pelo mundo, dos dez países com mais casos registrados, seis estão no continente europeu. São eles Itália, Espanha, Alemanha, França, Reino Unido e Suíça, que registraram aproximadamente 250 mil casos de Covid-19.

Leia também: Prestigiada revista médica internacional cita erros de Bolsonaro em meio a crise

Além do impacto econômico e nos sistemas de saúde dos países europeus, o coronavírus pode afetar também o campo político e diplomático da União Europeia.

Segundo o cientista político e professor do Insper Leandro Consentino, a pandemia pode abrir dois caminhos para os governos europeus planejarem suas ações diplomáticas no futuro: o de valorização do nacionalismo e o da valorização do supranacionalismo .

“Momentos de crise fazem com que essa integração perca ritmo e os países comecem a olhar mais para dentro. Questão de fechamento de fronteiras, por exemplo. Por outro lado, parece haver cada vez mais um entendimento de que o enfrentamento da pandemia e de seus efeitos, do mundo pós-pandemia , vai vir por soluções conjuntas, pela integração”, diz Consentino.

O cientista político diz ainda que o caminho que será traçado dependerá do povo europeu e das lideranças que surgirem depois da pandemia.

"Depende das lideranças que emergirem e de como cada povo europeu vai colocar no seu caminho lideranças com tal ou qual perfil. Elas podem aumentar a aposta no nacionalismo , como alguns países já estavam jogando esse jogo, como por exemplo o Reino Unido", diz o professor, fazendo alusão ao Brexit.

Leia também: Lei no Reino Unido prevê prisão para quem tossir em policiais

Por fim, Consentino também afirma que as decisões políticas e diplomáticas que os líderes da União Europeia tomarem após a pandemia poderão influenciar outras nações.

"A União Europeia é um bloco cujo as ações impactam muito nos países ao redor do globo. Então é possível que o caminho que a UE tomar seja um caminho analisado pelas lideranças", diz o cientista político. 

Coronavírus na Europa

Coronavírus Itália
reprodução
Itália é o mais país mais afetado pelo novo coronavírus na Europa

Desde que a a situação da China se estabilizou, a Europa se tornou o novo epicentro da pandemia de coronavírus. Nação mais afetada pela doença no continente, registrando 80.589 infectados e 9.134 mortos, a Itália afirmou que o país ainda não atingiu o pico no número de casos de Covid-19.

Leia também: Gráfico revela tamanho da crise na cidade mais afetada pelo coronavírus na Itália

Nesta sexta-feira, a Espanha , outro país que foi duramente afetado pelo coronavírus, registrou 769 mortes causadas pela Covid-19 nas últimas 24 horas. Com isso, o país ibérico atingiu a marca de 4.858 fatalidades com 64.059 casos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários