homem no meio de pessoas
Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Eduardo Bolsonaro manda banana para deputadas que defenderam jornalista da Folha

Uma declaração do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) responsabilizando a China pela pandemia de coronavírus provocou uma crise diplomática com o país. Por meio de seu embaixador no Brasil, Yang Wanming, o país asiático, que é o principal parceiro comercial do Brasil, manifestou veemente repúdio a uma declaração do deputado, chegando a dizer que o filho do presidente Jair Bolsonaro "contraiu um vírus mental" em Miami.

Leia também: Com bandeira da China no perfil, Frota ataca Eduardo Bolsonaro: "só piora crise"

“A parte chinesa repudia veementemente as suas palavras, e exige que as retire imediatamente e peça uma desculpa ao povo chinês. Vou protestar e manifestar a nossa indignação junto ao Itamaraty e a Câmara dos Deputados”, disse Yang no Twitter.

Leia também: China anuncia que irá expulsar jornalistas de veículos americanos

“As suas palavras são um insulto maléfico contra a China e o povo chinês. Tal atitude flagrante anti-China não condiz com o seu status como deputado federal, nem a sua qualidade como uma figura pública especial. Além disso, vão ferir a relação amistosa China-Brasil”, acrescentou.

Leia também: Qualidade do ar na China melhora devido ao surto de coronavírus, diz ONU

Na mesma linha, a conta oficial da Embaixada da China disse que as palavras de Eduardo “são extremamente irresponsáveis e nos soam familiares. Não deixam de ser uma imitação dos seus queridos amigos. Ao voltar de Miami, contraiu, infelizmente, vírus mental, que está infectando a amizades entre os nossos povos.”

Yang disse também que Eduardo Bolsonaro “precisa assumir todas as suas consequências”. Veja, abaixo, as publicações: 





    Veja Também

      Mostrar mais