Bogotá
Reprodução/Facebook
Até o momento, há 75 casos confirmados do novo coronavírus na Colômbia

O presidente da Colômbia, Iván Duque, determinou na terça-feira (17) o isolamento obrigatório das pessoas com mais de 70 anos, em uma tentativa de conter a disseminação do novo coronavírus, o Sars-CoV-2. A medida foi anunciada em conjunto com a declaração de estado de emergência no país, ferramenta que dá ao presidente autorização para expedir decretos com força de lei sem a autorização do Congresso, agilizando a resposta à pandemia.

Leia também: Entenda o que é o estado de calamidade pública e como ele pode afetar o país

Pela Constituição colombiana, o presidente pode declarar estado de emergência frente a situações que alteram de forma grave e iminente a ordem econômica, social e ecológica do país, constituindo um estado de calamidade pública. Em um discurso televisionado no qual anunciou as medidas, Duque classificou a pandemia da Covid-19 como “o maior desafio da humanidade em tempos recentes”.

O isolamento preventivo obrigatório das pessoas com mais de 70 anos, grupo de risco da pandemia, foi a medida inaugural do estado de emergência. Entre às 7h do dia 20 de março, quinta-feira, e o dia 31 de maio, os idosos “deverão permanecer em suas casas ao menos que precisem se reabastecer de bens de consumo de necessidade básica, utilizar os serviços de saúde , comprar medicamentos ou utilizar serviços financeiros”.

"Sabemos que quem corre mais risco são os nossos avós", disse o presidente colombiano, que deverá anunciar nesta quarta-feira um pacote de medidas econômicas para conter a crise.

Leia também: General Augusto Heleno é diagnosticado com coronavírus em primeiro teste

As medidas reforçam um pacote que já inclui a suspensão, a partir desta semana, das aulas presenciais em escolas e universidades. Em ao menos oito dos 32 departamentos (estados) do país, foi decretado também toque de recolher para reduzir a taxa de contágio do vírus. Na terça-feira, a prefeita de Bogotá , Claudia López, anunciou ainda que entre sexta e segunda-feira haverá uma simulação de quarentena na capital do país, na qual os 7 milhões de habitantes da cidade não poderão sair de suas casas e o tráfego de veículos ficará restrito.

Segundo o procurador-geral do país, Francisco Barbosa, as pessoas que não cumprirem os protocolos de saúde para conter o Covid-19 poderão ser condenadas a prisão, com penas entre quatro e 10 anos. Há em vigor um sistema de denúncias de cidadãos estrangeiros e nacionais que burlem as medidas de contenção. O estado de emergência decretado por Duque na terça-feira terá validade inicial de 30 dias, mas poderá ser prorrogado sem exceder um período de três meses, segundo a Constituição.

A Colômbia já havia proibido, há alguns dias, o ingresso de cidadãos estrangeiros, com exceção de residentes e integrantes de missões diplomáticas, e fechou todas suas fronteiras terrestres, marítimas e fluviais. Em paralelo, bares e boates foram fechados e restrições para agrupamentos de mais de 50 pessoas foram impostas.

Segundo a ministra de Transportes do país, Ángela María Orozco, há ainda a possibilidade de impor mais restrições a voos internacionais e limitações ao deslocamento interno para conter o vírus.

Leia também: Após primeira morte, Brasil contabiliza 351 casos confirmados de coronavírus

Até o momento, há 75 casos confirmados do novo coronavírus na Colômbia — todos infectados no exterior — sem nenhuma morte. Ao redor do mundo, a doença já infectou mais de 198 mil pessoas pelo mundo, causando mais de 8 mil mortes.

    Veja Também

      Mostrar mais