vaticano
Paulo Pinto/Fotos Públicas
Vaticano é a sede da Igreja Católica e uma cidade-Estado cujo território está dentro da cidade de Roma, capital da Itália


 O Tribunal de Lyon, na França, condenou nesta segunda-feira (16) o ex-padre Bernard Preynat, 75, a cinco anos de prisão em regime fechado por violência sexual contra menores de idade .

A acusação pedia uma sentença de oito anos de cadeia, tempo considerado "desmedido" pela defesa. Preynat, que é réu confesso, cometeu os crimes entre 1971 e 1991, quando as vítimas tinham entre sete e 15 anos .

Leia também: Ato na Avenida Paulista termina com mulher baleada após confusão

"Eu não percebia o mal que causava aos meninos. Anos mais tarde, os pais me fizeram entender o mal que eu havia causado a seus filhos. Para mim, eram gestos de ternura", justificou Preynat no julgamento.

As vítimas dizem que o ex-padre as obrigava a beijá-lo e acariciá-lo. De acordo com Preynat, os crimes ocorriam "todos os fins de semana, durante acampamentos". "Podiam ser quatro ou cinco meninos em uma semana", confessou.

Leia também: Coronavírus: Mais de 20 mil pessoas violaram isolamento na Itália

O ex-padre já foi condenado por um tribunal eclesiástico e demitido do estado clerical. O caso também atingiu outro religioso, o arcebispo emérito de Lyon, cardeal Philippe Barbarin, sentenciado a seis meses de prisão em liberdade condicional por não ter denunciado os crimes de Preynat, mas depois absolvido em segunda instância.

A sentença contra o ex-padre foi pronunciada em um tribunal vazio por causa das restrições impostas pelo governo em função da pandemia de Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus.

    Veja Também

      Mostrar mais