As autoridades italianas denunciaram mais de sete mil pessoas em apenas 24 horas por violação das medidas restritivas impostas pelo governo para conter a propagação do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

Leia também: Senador Nelsinho Trad testa positivo para coronavírus

Câmeras de rua mostram Roma quase sem ninguém após início de quarentena na Itália
Reprodução/Skylinewebcams
Câmeras de rua mostram Roma quase sem ninguém após início de quarentena na Itália


Leia também: Trump realiza teste para coronavírus e aguarda resultado

De acordo com os últimos dados do Ministério do Interior sobre as medidas restritiva por causa do coronavírus , ainda em consolidação, 157.271 pessoas foram abordadas, sendo que 6.942 foram indiciadas por não cumprirem as regras de circulação e outras 276 por apresentarem certificações falsas. Além disso, 83.454 lojas foram verificadas e 239 comerciantes foram notificados.

Leia também: Italiano usa roupa inusitada para se proteger do coronavírus

Nos últimos dias, o primeiro-ministro da Itália , Giuseppe Conte, aprovou uma série de medidas por conta de epidemia do coronavírus . Além da restrição de circulação, o novo decreto inclui o fechamento de todo comércio não-essencial, como bares, lojas de roupas, cabeleireiros e restaurantes, bem como teatros, museus e cinemas. Até o momento, a doença já matou 1.266 pessoas e infectou mais de 17 mil em todo o país. (ANSA)

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários